Tributação Justa
Liberdade de Comércio
Direitos ao Consumidor
Desenvolvimento com Sustentabilidade
 
NEWSLETTER

Cadastre-se para receber novidades




Pronunciamento


09/01/2014

Presidente, Ver. Delegado Cleiton; Ver. Villela, permita que as minhas primeiras palavras sejam que regozijo por vê-lo conduzindo os trabalhos da Casa, com a eficiência que caracteriza a atuação demonstrada pelos amigos em outras atividades. É lógico que, quando eu falo do Ver. Villela, eu sou suspeitíssimo, pelo carinho e pela amizade que nos une há mais tempo e pelo fato de ele ter me dado o privilégio de ser um dos seus colaboradores na melhor Administração que a cidade de Porto Alegre já teve, e, especialmente, em se tratando de habitação popular da periferia da Cidade, daqueles menos favorecidos da sorte, aqueles que, Ver. Villela, como o Governador Meneghetti nos ensinou, não esquecem jamais.

Eu andei pela Cidade, na Restinga, na Nova Grécia, no Sarandi, na Vila Mapa, na Batista Xavier, na São Gabriel... Enquanto a pessoa idosa, que vai lá, emocionada, lembrar de fatos que ocorreram há 30, 40 anos, eu me lembro de V. Exa., que, como Prefeito da Cidade, me deu o mais amplo apoio e a maior liberdade possível para realizar um trabalho que, às vezes, não era bem compreendido, mas que, ao final, dava tudo certo.

É exatamente nessa linha, Ver. Brasinha e Ver. José Tarciso de Souza, que eu vim disposto a me manifestar nesta primeira oportunidade, neste ano de 2014, Ver. Nedel, em que se reúne, objetivamente, a Comissão Representativa, e que coincide com a mobilização que ocorre na Zona Norte de Porto Alegre, comandada pelo Ferrinho, aquela entidade esportiva, Ver. Tarciso, que V. Exa. conhece tão bem, que esteve conosco, aqui, em dezembro, pedindo, Ver. Paulinho, a transformação da sua sede num centro cultural que mantivesse a memória daquele bairro. Tudo isso vem casar com um processo que nós iniciamos: comigo, como primeiro signatário, com o Ver. Brasinha, como segundo, e com o Ver. Tarciso, como terceiro. Nós criamos a Frente Parlamentar de Defesa do Bairro Humaitá, da Vila Farrapos, no entorno da Arena. Evidentemente, nessa ojeriza que alguns têm em relação à Arena, à OAS, logo disseram: “Vereadores Brasinha, Pujol e Tarciso, estão querendo tirar da OAS a responsabilidade que ela tem que ter.” Não. É preciso que seja dito que, no entorno da Arena, para alegria dos moradores do bairro Humaitá, e, especialmente, da Vila Farrapos, se criou um movimento impensável nesse país, nesse Estado, e, especialmente, nessa Cidade grenalística, sob a coordenação e inspiração do presidente do partido do Ver. Tarciso, o Deputado Federal Danrlei de Deus, que mobilizou a Bancada Federal de todos os partidos, com expressões mais fortes do Deputado Paulo Ferreira, do PT, da Deputada Federal Manuela d’Ávila, do PCdoB, com o meu próprio partido, através do Deputado Onyx Lorenzoni. Enfim, todos os partidos contribuíram, se fez uma mobilização espetacular e se destinou verbas parlamentares para o entorno da Arena, pois estamos falando da entrada da Cidade de Porto Alegre. E, quando isso aconteceu, estranhamente, em atitude deplorável, demagógica, mobilizaram-se contra esse fato, fazendo uma enorme confusão de que a OAS teria que cumprir os seus compromissos, que esses compromissos estavam sendo retirados da OAS e sendo encarados pelo Município com esse recurso obtido nessa grande mobilização. Ora, tudo isso é falácia, é uma mentira, porque os compromissos que a OAS tem, muitos deles, dizem respeito à Arena propriamente dita, e outros tantos dizem respeito ao projeto global, que serão instalados com a construção dos apartamentos, das ruas internas, etc. e tal. “Olha, quiseram arcar com os compromisso da OAS”. Mas, por enquanto, os compromissos assumidos em função da instalação da Arena estão sendo rigorosamente cumpridos, como é o caso da restauração do Parque Alim Pedro, uma mobilização do Ver. Brasinha, naquele símbolo da habitação popular de Porto Alegre, que é a Vila dos Industriários, construída no tempo em que o Presidente da República era o saudoso Getúlio Vargas, lá nos idos de 1950, ou seja, há muito tempo. Eu tenho uma foto minha, com familiares meus, onde o Parque Alim Pedro está funcionando, o qual, por coincidência, hoje, é vizinho do Colégio Estadual Dom João Becker, onde estudei, quando era na Rua Gonçalves Dias. Pois ali, a OAS, com uma mobilização do Brasil, com apoio nosso aqui da Casa, apoio do Tarciso, homem extremamente benquisto nas áreas tricolores, que, provavelmente, vão fazê-lo Deputado Estadual, e não lhes falta condições e qualidades de bem representar o nosso Grêmio na Assembleia, como representa aqui... Pois, então, este fato desmonta várias coisas. E parece que as pessoas não conhecem Belém Velho, não conhecem Belém Novo, não conhecem a Vila Nova, nunca passaram por lá, junto ao Amparo Santa Cruz, não viram aquela obra maravilhosa que a OAS fez lá, para o Círculo Operário, que lá está se instalando com a Universidade do Trabalho.

 

O Sr. Alceu Brasinha: V. Exa. permite um aparte? (Assentimento do orador.) Ver.  Reginaldo Pujol, a OAS já cumpriu com R$ 84 milhões de contrapartida em obras - são praças, escolas, parques. O Parque Alim Pedro, que o senhor mesmo relatou, é uma dessas contrapartidas - foram quase R$ 3 milhões para lá. Há 30 anos o Parque Alim Pedro precisava de uma restauração, e, hoje, graças à iniciativa do nosso Grêmio, de fazer a Arena, com a contrapartida da OAS, nós conseguimos levar para lá, para o Parque Alim Pedro, a revitalização. É que as pessoas falam, jogam no ar, jogam no ventilador, mas não foram perguntar quanto já foi cumprido. E eu digo: são R$ 84 milhões. A Arena poderia ter gastado esse valor somente no entorno, mas ela contribui com toda a Cidade, Ver. Villela! Então, já foram R$ 84 milhões, de contrapartida, e ainda tem mais para ser cumprido.

 

O SR. REGINALDO PUJOL: Obrigado, Vereador. V. Exa. sabe, inclusive, que, por ação iniciada aqui dentro desta Casa, dos inimigos gratuitos do Grêmio, da Arena, da OAS, eu diria até do bairro Humaitá, da Vila Farrapos, o Ministério Público foi provocado, e, estranhamente, ele deliberou que o Município não deve fazer nada no entorno da Arena do Grêmio. Ora, o processo do término da construção da Arena coincide com a travessia ali construída, qual seja, a segunda ponte entre Porto Alegre e Canoas, a Rodovia do Parque, e, em qualquer lugar deste Brasil - e o Dr. Villela sabe disso muito bem, porque presidiu esta Cidade com muita competência durante muito tempo -, quando uma obra pública é feita, quando uma rodovia entra na cidade, na sua conclusão do entorno, o DNIT, antigamente o DNR, faz as obras complementares. Isso está sendo feito em Canoas, em Esteio, em Sapucaia, e aqui em Porto Alegre também tem que ser feito! Não é a Arena do Grêmio que vai determinar que entrem 30 mil carros diariamente na Cidade, quando for aberta aquela possibilidade de ingresso pela via da Rodovia do Parque na cidade de Porto Alegre - e, instantâneo à Rodovia do Parque, precisam entrar numa rua auxiliar.

Agora mesmo, voltando ao assunto do Ferrinho, que é, ali, o antigo quadro da Estação Diretor Pestana, onde tem 180 moradias, as pessoas estão lá há mais de 40 anos, algumas substituindo os seus familiares – na verdade, elas residem, ali, junto à antiga Estação Diretor Pestana, há mais de 50 anos. E agora o Município fez um convênio com o patrimônio da União e recebeu aquele terreno. O Município pode urbanizar aquele quadro ali e para isso precisamos sair em busca de recursos. Espero, porque isso também é perto da Arena do Grêmio, que não surja uma nova manifestação do Ministério Público querendo impedir essa nossa Frente Parlamentar. Eu estou disposto, e o Ver. Brasinha já concordou comigo, e falo com o Ver. Tarciso, se for preciso, a ir até Brasília! Porque há uma dúvida se esses recursos que tinham sido previstos foram ou não empenhados. Se não foram empenhados, nós temos que denunciar a omissão daqueles que falharam. Porque não adianta os nossos Parlamentares colocaram-se acima de qualquer divisão política. Que todos os partidos que têm gaúchos nas Bancadas da Câmara Federal,  se somem com o Danrlei, com a Manuela, com o Onyx, com os Deputados do Partido do Ver. Nedel, com o nosso, com o seu Deputado. Aliás, um dos que mais trabalhou, foi Secretário de Estado por duas vezes no Rio Grande do Sul, o Beto Albuquerque, foi um dos que mais contribuiu. Enfim, é pluripartidário, é acima dos partidos políticos.

Então, eu não posso, de maneira nenhuma, permitir que interesses eleitorais e eleitoreiros possam comprometer essa grande demonstração de unidade e compreensão dos Deputados Federais do Rio Grande do Sul, a quem eu louvo, aplaudo, demonstro e apresento como exemplo que tem que ocorrer em várias outras atividades. Nós temos que apreender que, em determinado momento, temos que colocar a Cidade acima de tudo. Ora, se amanhã o Governo Tarso Genro, do Partido dos Trabalhadores, que não tem o meu apoio, vier a fazer algumas coisas para a cidade de Porto Alegre, vai ter o meu aplauso sim. Eu estou no compromisso de vir aqui e fazer um voto de congratulação com o Governo, se ele cumprir algumas coisas com a cidade de Porto Alegre. Da mesma forma, digo que a Presidente da República, a Dilma, tem grande interesse em ajudar a Administração Municipal da Cidade, ainda que o seu interesse não seja correspondido pelo seu Governo. Às vezes, não é só a vontade do titular – não é, Ver. Villela? – que resolve, é preciso que os seus assessores compreendam a vontade do titular e cumpram com os objetivos.

Então, eu quero anunciar, formalmente, o seguinte: logo no início do mês de fevereiro, Ver. Paulinho, que é um dos signatários, Ver. Janta, Ver. Nedel, vamos fazer a formalização da nossa Frente Parlamentar, e entrarmos em campo. Literalmente, vamos entrar em campo sem chuteira. Vereador, não precisa as suas chuteiras velhas aqui, não, não precisa, preciso da sua qualidade, da sua capacidade de trabalho sempre demonstrada. É isso, Sr. Presidente, que eu, nesta primeira manifestação do ano de 2014 que eu faço, reafirmando a minha alegria de vê-lo conduzindo os trabalhos. V. Exa. foi, neste primeiro ano desta Legislatura, uma belíssima revelação, demonstrando que o povo, especialmente o povo da Zona Sul de Porto Alegre foi muito feliz em remetê-lo aqui para a Casa. A Casa ganhou com a sua presença. Um abraço e muito obrigado.


 
Usuário:
Senha: